segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Cinco dicas pra ser descolado

Você anda por aí procurando uma tribo, sem se identificar com nada nem com ninguém? Sua família acha esquisito você não ter um grupão de amigos legalzudos? Na balada, você nunca sabe o que usar, vestir nem ou que dizer? Você é sinônimo de sem graça para aquela sua prima gostosa? Sua vida social anda mesmo uma mierda? Calma, tudo tem solução. Já experimentou o último andar do Ed. Manoel Pinto da Silva? Dizem que a vista é ótima e a vontade de pular é inevitável.

Não, que isso, não precisa chegar a este extremo. Se quiser se matar, não estou nem aí. Mas para aplacar a sua dor, o BG condensou cinco dicas imperdíveis para você se inserir em um dos três grandes grupos sociais dos garotinhos e garotinhas juvenis criados em prédio a leite com pêra e ovomaltino, jogos de peteca no carpete, empinamento de pipa no ventilador e consultas no psicólogo para superar traumas inexistentes.

Depois de muita observação, visitas a bares, boates, tabernas, mercearias, cafés e espeluncas de toda sorte, sem contar as horas e horas de conversa e convivência com gente da pior espécie, o blog identificou os pontos que você precisa para conhecer um novo mundo, onde você vai ter um milhão de amigos e bem mais forte poder cantar.

Se você escapou de ser o bem-nascido que torra a grana do papai das maneiras mais esdrúxulas possíveis com roupas caras, carros tunados e viagens pros points mais escrotos do planeta, ou se ainda não se formou, considerou Belém o cu do mundo e partiu para a vida em uma megalópole qualquer onde vão lhe chamar de Paraíba, ainda tem o grupo dos descolados reservado para você. Se descole, mermão, está mais do que na hora.

Deixe de timidez ou pensamentos negativos. Isto não vai levar você a lugar nenhum, diria aquele leitor do Lair Ribeiro ou do livro “Quem mexeu no meu vendedor Pitbul”. Ser descolado é mais simples do que sua vã filosofia possa imaginar. É tão fácil que conseguimos sintetizar os cinco passos em dois minutos poucos dias. Aproveite a orientação, seja popular, bem sucedido e assediado sexulamente na nigth. Está no fim o tempo de trevas e Zorra Total na noite de sábado. Confira:
1 - Vista-se mal

Não me venha com essa que gosto é como anta preferida e cada um tem a sua. Descolados se vestem da pior forma possível e ponto final. Você não tem parâmetro? Faz assim: pense no seu pior traje. Pensou? Agora mentalmente faça combinações com cores completamente diversas uma das outras. Chegou à imagem? Agora multiplique o mau gosto por 150 vezes. Não conseguiu? Porra, você é burro mesmo. Seguinte: vá a casa daquela tia solteira com mais de 60 anos. Peça pra revirar as roupas mais antigas da pobre, pegue as peças mais feias, embole na cama e se vista no escuro. Ao ligar a luz, você vai se assustar. Calma, é isso mesmo. Está ridículo, mas todo mundo vai gostar no lugar que você for badalar. Não esqueça do tênis All Star. Não tem? Compra. Descolados usam All Star até na piscina. Use maquiagem inspirada nos anos 80. Não, não importa se você é homem. Quanto ao cabelo, arrume uma faca cega e dê talhos aleatórios, deixando mais irregular possível. Se tiver violeta ou mertiolate em casa salpique em cima. Vai ficar tudo de bom.
2 - Imite os europeus

Munido com sua fantasia nova roupagem, já é meio caminho andado. Mas, nada vai estar perfeito se você não tiver atitude. Atitude é tudo na vida, meu irmão. Portanto, imite os europeus. Calma lá. Também não é qualquer um europeu. Não me vem com português pra cá que não vai dar certo. Eles descobriram essa merda de País e ainda viraram motivo das piores piadas dessas paragens. Concentre-se, sobretudo, na cidade de Londres. Lá, se desenvolveu toda a cultura da descolagem. Londrinos são tão descolados que não há histórico de irmãos siameses naquele lugar. Se você não conhece nada dos ingleses, joga no Google. O que vier tá valendo. Até o sorriso da Lady Di e a cara de besta do Príncipe Charles. Vale lembrar: não deixe de fora os roqueiros daqueles lados. Dos Beatles ao Sex Pistols. Vale tudo. A atitude blasé, o humor ácido e que ninguém entende contam muito também. Lembre-se que anglo-saxões não têm swing. Isso é coisa de latino, seu besta. Vai fazer diferença na hora de dançar. Evite. Recomenda-se ainda a chatice e a mania de chorar em público dos franceses. Se estiver chovendo, então, aproveite. Dá uma excelente imitação de cenas de filme Cult, com direito a maquiagem borrada e tudo mais.
3 - Fale de filmes cabeça/bandas desconhecidas

Está quase lá, meu garoto. Está conseguindo. Agora com a roupa e a atitude, lhe falta assunto. Você vai atacar de comentarista de cinema europeu ou de produções brasileiras do circuito alternativo. Neste quesito prefira os franceses. Pesquise aí no Wikipédia Jean-Luc Godard e François Truffaut. Não, jumento. Não precisa ver nenhum filme deles. A não ser que você queira morrer de tédio. Faz que nem eu. Não vi nenhum. Só pesquisei os nomes porque ouvir falar. Lê um artigo sobre os dois, decora uns três nomes de filmes de cada um e está tudo bem. Tem um tal de Ingmar Bergman também. Deste, você vai falar só de “Morangos Silvestres”. Ninguém viu esta merda, mas todo mundo comenta entre os descolados. Diga que é sua obra prima e que passou três semanas refletindo sobre a questão humana suscitada pelo diretor. Do Brasil, pode inventar um nome qualquer. Dificilmente, alguém assiste obras brasileiras no cinema. Ainda mais alternativas. Fale do conjunto pungente, homogêneo e de qualidade de Azeredo Coimbra, cineasta inventado com trabalho de importante repercussão social em vários Estados do Nordeste. Em relação à música, cite bandas que só você conhece. Não conhece muita coisa? Invente, ora. Aquela última que fez um sucesso estrondoso nas províncias do Sul da Birmânia e no Noroeste da Noruega. Crie uma melodia sem sentido, se insistirem em saber como é o som. Em hipóteses alguma, mencione gêneros como forró, pagode, axé e essas porcarias. O mesmo vale para o cinema. Descolados só vêem blockbusters escondidos e só revelam esse pecado se disseram que seu todynho vai ser suspenso da merenda da tarde.
4 - Crie um coletivo

Ok, Ok, você está ficando bom, meu filho. Está tudo certo, mas ainda faltam alguns detalhes. Reunir-se e ter um grupo que queira muito ser descolado é fundamental. Um descolado sozinho não é ninguém. Convença seus amigos normais a entrarem nessa onda. Diga, por exemplo, que você agora pega geral com o novo estilo de vida e já recebeu propostas de emprego irrecusáveis pra trabalhar duas horas por dia ganhando uma fortuna. Mente um pouco, não vai fazer mal. Eles vão se empolgar e, então, você propõe um coletivo. Não sabe o que é coletivo? Não, não tem nada a ver com ônibus nem com cardume ou manada (este último até tem, mas deixa pra lá). O termo é usado, geralmente, para identificar três ou mais pessoas que acreditam que tem algo a mais pra mostrar e revolucionar a cidade em que vivem com entretenimento e cultura pop engajada, nem que seja engajada apenas na pura sacanagem ou ânsia em ganhar um troco. Enfim, junte ai os seus manés, promova festas, faça filmes que ninguém quer ver, monte bandas inaudíveis, festivais furrecas, exposições com artistas picaretas. Mas, faça em conjunto e parecendo que tudo é muito dugaralhion. Uma outra característica do coletivo: todos – eu disse todos – os membros se transformarão automaticamente em DJs. Não importa que ninguém saiba nem programar o MP3 ou o gosto musical não agrade nem a si mesmo. Esqueça esses pormenores. Todo mundo vai fazer discotecagem pública, sem o menor constrangimento. O nome do coletivo pode ser qualquer expressão engraçada do universo gay, do tipo “Atoron”, “Vintchy Reains” ou “Orcanha da Amapô”. Denominações com piadas internas representativa para os integrantes, como “Busanfã Armafanhado”, também pegam superbem.
5 - Vá ao Café com Arte


Meu querido, descolado. Sim, bobo, você já alcançou o status em quatro passos. Você é foda mesmo, heim? Agora você não pode ficar em casa com todo esse naipe, essa ginga, esse charme, esse estofo e esse carisma para ser um muleke diskolado, popular e viçoso. Como todas as tribos, os adeptos do descolamento tem seu templo. Se você mora em Belém, não tem o que errar: a onda é Café com Arte, meu filho. No bairro de Nazaré, os filhos de mamãe curtem todas as baladas, pirando o cabeção com muita tranqüilidade em descolagem sem igual. Ambiente refrigerado, bebidinhas não muito caras e os melhores hinos para embalar suas noites de ferveção e glamour. É tiro certo. Lá ninguém vai reclamar se você é um clichê ambulante ou está fantasiado com roupas ridículas. Ouvirás elogios do tipo “nossa, que retrô fodástico”, “cabelo maneiro, a-do-rei” e “caraio, véio! É muita vanguarda londrina! Loooshooo”. No ambiente, você vai poder se agarrar com o que a classe média belenense produz de melhor: suas filhas de 18 anos, com dentes sem nenhuma cárie e pele de seda regada a Monange cosméticos importados. Um tesão. Se você é mulher, vai experimentar rapazes sensíveis afeitos à arte e ao amor livre, sem preconceitos ou restrições. Ou vai pegar uma  mocinha e partir pra colar o velcro também. Por que não? Posso filmar?Agora é só correr pro abraço e se consumir de pura felicidade.

31 comentários:

wildchild disse...

Já sei os cinco passos sobre o que não fazer para manter minha integridade física e moral.
Se bem que são uns 40 passos ou mais, mas os 5 já dizem muita coisa!!
Saravá!!
Os descolados poderiam se colar tanto, se aglutinar e virar uma grande massa disforme e cinza e ficar lá no porão do café!
EEH

Anônimo disse...

Será que o povo que frequenta o café com arte frequenta o BG?

"Isso vai dar merda" (Capitão Nascimento)

wildchild disse...

hehehe

muitos pulsos cortados, muita choradeira e muita causação!

"Isso vai dar merda" (Capitão Nascimento) (2)

Nega disse...

Eu não frequento hein.

-Tomei um OVOMALTINO ontem, fui criada com ele, mas ja viu, fui ficando muito nhonha, dai tive de parar e começar a tomar leite manacá, que é uma espécie de ovomaltino desnatado.

Ah, esses pró-elitistas de merda, ja falei deles em outras ocasiões. Bem verdade que venho falando muito neles...


Bjs e boa semana Anderson o/

Tereza Jardim disse...

HAHAHA! pior que é fácim mesmo fazer de conta que é descolado...

sou mais eu, que não sou considerada descolada pra quem é descolado, mas pra quem não é eu sou o cúmulo do estilo. rá!

Bibi. disse...

Você realmente entende do assunto benhê!

cdarwich disse...

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH
Pió...
a ilustração do café + arte tá demais.
mas cara, eu vi um filme da Vanderléia esses dias, no Canal Brasil. Acho q foi feito nos anos 60\70, sei lá eu...
Bom, todos, eu disse todos os personagens saíram direto do CaféComArte... impressionante, cara.
Não lembro o nome do filme, era sobre uma cantorinha q começa a fazer sucesso e o empresário quer comer ela...
A Vanderléia faz a cantorinha (dã...)
mas eram aqueles cabelinhos, roupitchas e oclinhos.
bem, eu só tenho camisetas pretas e jeans de liquidações, então foda-se hehehe.

irmamorfina disse...

acho que eu sou quase uma descolada... acho que os europeus se vestem divinamente bem, gosto de filmes cabeças, e vou ao café com arte. só falta fazer parte de um coletivo. meachuutaaaa!
um dia eu chego lá \o/

paulo nazareno disse...

rapaz, é por essas e outras que eu já montei o meu coletivo. Convidei as meninas da Locomotiva. Agora estamos todos felizes no Coletivo Meaputa!!

Antonio disse...

Loooshooo!!! Os cinco passos são esses mesmo!! ahahaha

E o café com arte tb pode ser substituido pelo Amnésia. Ficadica!

Filiblog disse...

Quando ia lendo,só pensava na mulher mais descolada q eu conheço: a brondi, irmãmufina.

Um dia chego ao seu nível.

calma

tô chegando lá;

Carla disse...

Eu a-do-rei as dicaaass!!! UAHuahAHuahuhua
Acho que aquela repórter da Troppo é descolada. A coluna dela tem esse estilo de palavreado: blasé, ficadica, okiá, loosho...tudo assim!
E a foto dela é com aqueles óculinhos que só os descolados usam.
HAUHUahuhauhuhUHUAHUAHu
ArrasÔ, BG! AmÊiêê!

cdarwich disse...

Cara, quem é esse doido nesta foto que tu colocou ae?

Esse um, de óculos escuros, olhando uma fita métrica, com um gigantesco cigarro de tóxico (maconha) na boca?

Esse pessoal fuma tóxico?
Égua.

andersonjor disse...

"Disque" é o Godard e o outro o Truffaut. Dois fresquinhos. Acho que esse cigarro é "tóchico" mesmo.

Taminesca disse...

Coletivo Meaputa, to dentro.

Carla disse...

E pra ser mais descolados ainda, tem a dica 06. Depois de fazer tudoo que o BG disse ainda tem que ser criticado negativamente pelo Anderson! kkkkkkkkk

Esfinge de Giz disse...

para de escrever mensagens subliminares sobre o Paulo!
=P

Anônimo disse...

olhem esse video:

http://www.youtube.com/watch?v=rY5WtleimWI

é daquele garoto que apareceu na mtv belém (WEEB JUNIOR) como vj.

(é um programa dele?)

mais achei engraçado até

Beijão.

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkkk

eu assitir o video do weeb

ri muito

Nanda Melonio disse...

Essa descrição encaixa direitinho com um monte de gente que estudou comigo... Sem comentários: fiquei no time dos que se formaram e deram "hasta la vista baby".

Lígia disse...

Esqueceste de falar sobre as fotos alternativas de perfil do orkut/ twitter/ facebook/fotolog/ flirck etc aquelas que só tem um lado do nariz, ou está de cabeça pra baixo, um lado só do sorriso. Enfim, fotos bem descoladas.
Bom texto!
beijos

andersonjor disse...

Anônimo, tô desconfiando que és o próprio Weeb fazendo propaganda.

Mas, fique a vontade. Vi o vídeo e ri muito. Ri do comentário: "Cara, você é um talento". Boa piada.

Ligia: obrigado pela visita. Mas esse quesito aí já é velocidade seis. Vamos pegar leve com os iniciantes da descolagem.

Volte sempre, moça.

;-)

paulo nazareno disse...

O cometário no vídeo do weeb é: "Cara, tu é muito talentoso..."

hahahahaha.

Anônimo disse...

Anderson tenho outras duas sugestões pros candidatos a descolados: virar jornalista e melhor ainda, trabalhar na editoria de cultura e a segunda é aliar arte ao jornalismo, criar pelo menos a cada três meses uma instalação bem no centro da cidade.É isso mesmo, já que ultimamente tudo quanto é estudante de jornalismo sonha em ser tamém artista.

beijos Aline Brelaz

Anônimo disse...

hahahahaha.
Concordo com a Brelaz, mas acrescentaria à lista também para os coleguinhas publicitários...ô gente para gostar de ser diferente.

Irna Cavalcante

andrey disse...

garotinho juvenil criado a leite com pera ovomaltino (Gil brother)

Bianca Leão disse...

Huahuahauha
Sou tua fã,Anderson!
Amei o texto!
Bjs.

Claudia Nascimento disse...

"Londrinos são tão descolados que não há histórico de irmãos siameses naquele lugar"
Eu diria mais: o Reino Unido é tão descolado que, mesmo unido é todo decomposto... e está descolado da Europa também!!

pedro paulo disse...

Porra, e eu deixei tanta roupa assim passar em branco nas pechinchas da Terra Firme. Égua, Anderson. Vê se da próxima avisa com antecedẽncia. Te liga na moda meu!!
O mundo gira.

Laura disse...

Vc é a desgraça em pessoa!!!! Amei!

andersonjor disse...

Laura, quero acreditar que isso foi um elogio.

Obrigado.

Volte sempre, moça.